top of page

Inquérito de acordo feito entre Cohab e empresa é arquivado

Por: JCNET


Justiça aceitou pedido do Gaeco depois de não ter sido constatado crime na transação entre a companhia e a GCE


O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) de Bauru pediu arquivamento do Procedimento Investigatório Criminal (PIC) que apurava suposto desvio de valores por intermédio de um acordo de pagamento de dívida celebrado entre a Cohab, na gestão de Edison Bastos Gasparini, e a Construtora GCE S/A. As investigações sobre outros dois acordos da companhia com empresas (SanCarlo e LR) também foram arquivadas anteriormente. Apenas um segue em apuração.


O pedido de arquivamento foi feito pelo Gaeco há cerca de um mês e aceito, agora, pelo juiz da 4.ª Vara Criminal da Comarca de Bauru.


Os promotores informaram que havia inicialmente indícios de irregularidades, mas, ao longo de ampla investigação, não foi constatado nenhum crime nesta negociação da Cohab com a CGE S/A. Cópias das apurações serão enviadas ao promotor Fernando Masseli Helene, da Promotoria de Defesa do Patrimônio Público, para análise no âmbito civil.


O entendimento do juiz se baseou na manifestação do Gaeco pelo arquivamento, em razão da ausência de justa causa para a ação penal.


Advogado de Edison Bastos Gasparini, Leonardo Magalhães Avelar reforça que, "após longa investigação, com a realização de inúmeras diligências, restou comprovada a regularidade da operação realizada e a consequente atipicidade da conduta de Edison Gasparini, o que motivou o arquivamento do PIC".

 

Texto publicado originalmente em JCNET.

Comments


bottom of page